Como fazer seu primeiro intercâmbio estudantil

Iniciar essa primeira viagem sempre parece difícil demais. Requisitos, documentos, papelada, burocracia, taxas, etc. ficam no meio do caminho lhe dizendo que você nunca conseguirá. E posso lhe dizer uma coisa: se você não começar hoje com certeza nunca vai conseguir. Certamente o intercâmbio acadêmico não é uma tarefa simples, mas está mais ao seu alcance do que você pode imaginar.

Fazer intercâmbio é diferente de viajar por turismo.  Embora você possa fazer turismo quando faz intercâmbio, este último precisa de um planejamento maior.
Uma vez me disseram na embaixada do Brasil na Colômbia:”você não pode acordar um dia e dizer: eu quero ir para o Brasil. O processo todo pode demorar até um ano”.

Certamente, eu tinha acordado um dia e pensado exatamente isso. Eu queria viajar assim que possível.  Mas minha situação era diferente, Eu já tinha avançado vários passos do processo e em menos de sete meses estava de volta ao Brasil e matriculado em um mestrado de dois anos.

Tenho certeza que você também está querendo viajar logo, e iniciar o processo pode ser uma experiência um tanto desafiadora, mas ao fim das contas, não é isso que procuramos ao viajar?

Não entre em pânico. Aqui lhe darei algumas  recomendações que facilitarão sua vida.

1. Antecipe-se

Como já disse o processo geralmente pode demorar de seis meses a um ano.  Então comece a procurar as informações agora. Algumas faculdades têm convênios que facilitarão tudo. Você terá que apresentar alguns documentos e pronto. Em outras, terá que criar o vínculo e correr atrás da documentação. Você precisará de documentos assinados, traduzi e enviar papéis para outro país, cumprirá prazos, etc. Portanto, não perca tempo e informe-se das datas exatas do início dos cursos, as datas limites para apresentação da documentação, se você precisa de visto de estudante, quanto tempo vai demorar para obtê-lo, etc.

 

2. Fique ligado nas oportunidades

A maioria de faculdades tem um escritório de relações internacionais. Vá lá agora mesmo e tire todas as dúvidas que você tem. Além disso, pegue informações das possibilidades que a sua faculdade lhe oferece. Se ela não tiver, existem muitas instituições de intercâmbio e estágio. As embaixadas geralmente oferecem vários programas também. Se você realmente quer, basta dar uma “googleada” e encontrará.  Além disso, veja que possibilidades de bolsa você pode ter. Atualmente, existem muitas instituições que oferecem bolsas bancar os custos da sua viagem, etc. Pode não acreditar, mas as maiorias dessas bolsas se perdem cada ano por falta de candidatos.

 

3. Não deixe para depois

A maioria das pessoas deixa a experiência do intercâmbio estudantil para o final da graduação.  Mas a minha recomendação é: faça assim que puder.  O status de estudante é privilegiado no mundo todo, aproveite-o. Quando você se formar e perder esse status vai se arrepender de não ter feito tantas viagens quanto poderia ter feito. Estudantes têm maior facilidade para obter vistos, descontos, programa de vantagens, etc. em tudo que é coisa, desde desconto para entrar ao cinema ou comprar uma passagem internacional.

Pessoas lhe dirão que ao final da graduação você estará mais preparado academicamente para viver essa experiência, mas acredite, quando se viaja, o aprendizado está fora das salas de aula. De fato, um currículo com diferentes faculdades e países, fala da sua capacidade para se adaptar, mudar e trabalhar em diferentes situações e contextos. Independentemente do seu desempenho acadêmico, o que você aprende viajando ficará para sua vida.

4. Leia muito

Se acostume a ler absolutamente tudo. Atualmente, todas as informações que você precisa encontram-se documentadas na web. Não seja o tipo de pessoa que liga para uma instituição perguntando coisas que estão disponíveis ao publico, mas você foi preguiçoso demais para acha-las. A partir de esse momento você começou a criar uma imagem negativa nessa instituição.

Leia os editais, manuais, e demais informativos sobre a faculdade, a embaixada, o país para onde você vai, o sistema de saúde, a que você terá acesso, bolsas, documentos que terá que levar do seu país, burocracia antes de viajar e após de chegar a seu destino, possibilidades de trabalho, etc.

Quanto mais informações você catar desde o início, menos surpresas encontrará na sua viagem. E menos dores de cabeça terá.

5. Aprenda inglês

Querendo ou não, o inglês ainda é a língua universal. Desde o setor financeiro até o mundo acadêmico, tudo converge nesta língua. Se você não fala inglês, a minha recomendação é que comece a estudar logo, ou talvez seja a desculpa perfeita para fazer seu intercâmbio.  O inglês facilitará sua caminhada pelo mundo e criará laços com pessoas e culturas de uma forma que você jamais imaginou.

6. Não se compare com os demais

Um pensamento negativo e equivocado, no momento de candidatar-se a qualquer tipo de vaga é pensar que sempre haverá alguém melhor do que você que será chamado para preenchê-la.

Entrar numa faculdade ou ser aceito num programa de intercâmbio é uma situação de vulnerabilidade e você poderá pensar assim. Você sempre achara que seus concorrentes têm muito mais preparo, melhor currículo, mais experiência laboral ou acadêmica, etc. Bloqueie esses pensamentos desde o inicio, pois só dar-lhe-ão insegurança e você acabará desistindo.

 

7. Não desista na primeira tentativa

Muitas faculdades, professores, instituições, etc. rejeitarão você. Isso não quer dizer que você não é bom em aquilo. Não fique chateado e se chicotando eternamente. Vai logo e toque outra porta, alguma eventualmente se abrirá.

Os processos seletivos variam muito de acordo com as instituições, e você nunca saberá o que uma faculdade está procurando realmente. Talvez eles não procurem pela pessoa com mais experiência, mas aquela que está ansiosa por aprender tudo que é coisa. Acredite em você e nas suas capacidades e habilidades. Elas podem ser o diferencial que eles estejam procurando.  Vai por mim, se fosse por meu currículo eu nem estaria no lugar que estou atualmente. Às vezes, ficamos focados nas informações guardadas num troço de papel ou respaldadas por um diploma e esquecemos-nos dos grandes talentos que há dentro de nós. Confie sem seus talentos, pois eles o levarão longe.

 

8. Não tenha medo e não desista

Como eu já disse em outra publicação o medo sempre poderá estar presente, mas ele não pode tomar as decisões por você. No processo todo, o medo mostrará diferentes faces para você e muitas perguntas virão na sua cabeça: e se não der certo? E se eu não gostar do País? Se eu não gostar da faculdade? Se não fizer amigos? Etc. Inclusive a sua família se juntará ao medo com frases como “você vai tão longe de casa, nós vamos sentir muita saudade, você não?”.

Encare todos esses medos da melhor forma, pois é completamente normal ter incertezas. Mas ficando em casa sentado você nunca achará respostas a nenhuma dessas perguntas e você poderá perder a oportunidade da sua vida. Como me disse uma professora no momento em que o medo tomou conta do meu intercâmbio: “se você não gostar volta pra casa e ponto”. E é simples assim.

Versión en español

English Version

 

 

Anúncios

Um comentário sobre “Como fazer seu primeiro intercâmbio estudantil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s